Hospital Unimed Chapecó (SC) realiza procedimento cardíaco avançado

O Hospital Unimed Chapecó (SC), referência na realização de procedimentos de alta complexidade, superou as expectativas de uma família ao realizar, pela primeira vez na instituição cooperativa, uma cirurgia para correção do Canal Arterial Patente ou Persistente (PCA), que é a comunicação entre a aorta e a artéria pulmonar. O paciente submetido ao procedimento foi um bebê prematuro, nascido de 28 semanas de uma gestação gemelar.

A cirurgia, que teve duração de cerca de duas horas, contou com suporte de equipe médica assistente e UTI Neonatal e foi realizada pelo médico cirurgião cardiovascular e cooperado da Unimed Chapecó, Leonardo Lacava Lopes. “A princípio, pode-se induzir o fechamento da artéria com medicação ou por cateterismo cardíaco, de acordo com a disponibilidade e anatomia. Conforme indicação dos médicos neonatologistas, pediatras e cardiopediatras, pode-se discutir com a família a indicação de fechamento por cirurgia”, comenta Leonardo.

Para que o procedimento fosse realizado na Unimed Chapecó era necessário que o hospital tivesse a estrutura adequada: “Primeiramente, precisa-se de uma UTI Neonatal, equipe de cirurgia cardíaca especializada e equipe de cardiologia pediátrica. Felizmente, temos tudo à disposição no Hospital Unimed Chapecó, evitando-se assim a necessidade de transferência de um bebê prematuro com complicações para outra região do Estado ou do País”, comentou o pediatra cardiologista Rafael Queiroz dos Santos, um dos médicos que teve participação no processo, desde o diagnóstico até a decisão pela cirurgia, ao lado de Leonardo Lopes e da pediatra Maria de Fátima Pinetti.

Gratidão

Filho de Cleunice Bettu, Benjamin nasceu no dia 1º de junho, pesando 995g. Seu irmão Bernardo pesava 1.280kg e ambos precisaram ir para a UTI Neonatal. A notícia de que o Benjamin seria submetido ao procedimento, foi dolorosa, mas Cleunice afirma que, mesmo sabendo dos riscos, em momento algum perdeu a esperança. “Se tem uma palavra que resume o que eu sinto hoje é gratidão. A forma com que os profissionais e os médicos do Hospital Unimed Chapecó conduziram a situação nos transmitiu muita segurança”, ressaltou a mãe.

Fonte: Mundocoop.com.br

 

%d blogueiros gostam disto: