Cooperativas crescem e ajudam a alavancar o agronegócio no Espírito Santo

Uma cooperativa agropecuária de Santa Maria de Jetibá, na região Serrana do Espírito Santo, está ajudando a crescer o agronegócio no estado, além de gerar empregos. Com apenas 204 associados, ela movimenta cerca de R$ 4 milhões por ano.

De acordo com o encarregado de mercadoria da cooperativa, Valdemar Hammer, a expectativa para o futuro é expandir ainda mais a empresa. “Meu sonho é de crescer a cooperativa, que ela gere mais empregos e possamos entregar mais mercadorias para as escolas”, disse.

Na opinião do auxiliar de encarregado Daniel Júnior, a cooperativa representa uma oportunidade, porque estava desempregado.

“É uma oportunidade para mim, que estava há 5 anos e meio desempregado. Eles me deram a oportunidade e estou aqui agora. É uma área que eu gosto de trabalhar com verdura”, falou.

Os produtores percebem que lidam com pessoas que gostam do que fazem. “São simpáticos, podemos contar com eles, se tenho dúvida eles logo respondem. Eu gostei muito disso, é uma parceria boa”, opinou o produtor rural Armando Schulz.

A cooperativa é uma parceria entre quem está na linha de frente com o produtor e quem está cuidando do gerenciamento. “A gente abre na verdade o olhar, pois já sabemos como é o trabalho árduo deles no município”, disse a administradora da cooperativa. Eu vejo que isso é gratificante. Eu vejo com outros olhos. Eles tomam sol, chuva, não tem tempo ruim”, Jussiléia Oliveira Jacob.

Para a presidente voluntária da cooperativa, Selene Hammer Tesch, acontece a promoção da força da união no meio rural. “A cooperativa faz juntar as pessoas, buscar melhorias e sempre se capacitar melhor, para aprimorar no atendimento”, afirmou.

Cooperativas

No Espírito Santo, tem 124 cooperativas, sendo a maioria agropecuárias. Elas representam 4% do Produto Interno Bruto (PIB) capixaba. Ttudo é produzido por 290 mil cooperados que ajudam a abrir postos de trabalho na roça e na cidade.

O número de empregos gerados pelas cooperativas no estado está crescendo. Em 2010, por exemplo, era de 5.800 e, até o primeiro semestre de 2017, mais de 8.200 pessoas estavam trabalhando em cooperativas.

Argeo contou, ainda, que não esperava que a cooperativa fosse se tornar a segunda maior do estado em termos de faturamento, o que o deixa muito orgulhoso. “Nós não imaginávamos que fosse crescer tanto. A gente não pensava que Santa Maria ia crescer tanto”, completou.

Fonte: G1/Espírito Santo

%d blogueiros gostam disto: