Cooperativismo financeiro cresce e ganha espaço no mercado brasileiro

O cooperativismo de crédito cresce sem parar no mundo todo, dada a expansão da demanda por financiamentos de pessoas físicas e jurídicas. No Brasil, diante da forte retração no setor bancário nos últimos anos, as cooperativas estão aproveitando para expandir a sua oferta de serviços financeiros, incluindo cartões de crédito, consórcios, previdência, seguros e caderneta de poupança.

Segundo o Banco Central, todo o sistema cooperativo de crédito nacional conta com 13,2 milhões de cooperados e 6.655 mil cooperativas, que, em conjunto, têm 3% de todos ativos financeiros do país.

De acordo com a diretora do Sicoob Central Rio, Nábia Jorge, as cooperativas têm conseguido um relacionamento mais próximo e personalizado com os tomadores de crédito e serviços financeiros do que os bancos. “Mesmo com taxas menores e produtos e serviços mais baratos, ao final do ano, as sobras da cooperativa são distribuídas aos associados, conforme suas respectivas participações na utilização dos produtos e serviços da cooperativa”, explica a executiva.

O Sicoob Rio atingiu a marca de mais de 45 mil associados no primeiro semestre de 2017. Sua carteira de crédito chegou a R$ 359 milhões em operações. No primeiro semestre, as cooperativas registraram aumento de R$ 65 milhões em depósitos totais. Além disso, com a abertura de novas agências, o Sicoob Rio conta hoje com 70 pontos de atendimento em sua área de atuação (Rio de Janeiro e Espírito Santo).

As cooperativas financeiras ou de crédito oferecem praticamente os mesmos serviços que os bancos, mas como essas cooperativas não têm fins lucrativos, as taxas cobradas por produtos e serviços chegam a ser até 20% menores do que as taxas cobradas pelos bancos. E a remuneração das aplicações são sempre superiores a dos bancos comerciais.

O Sicoob, maior sistema de cooperativas financeiras do país, registrou resultado de R$ 671 milhões no primeiro trimestre de 2017. O avanço foi de 15,4% em relação ao mesmo período em 2016, quando o saldo foi de R$ 581 milhões.

%d blogueiros gostam disto: