Cooperativas fazem sucesso na Green Rio

Reportagem: Richard Hollanda (redacao@montenegrogc.com.br)

O cooperativismo marcou presença na 6ª Feira e Conferência de Iniciativas da Economia Verde – Green Rio 2017, em maio. O evento debateu temas estratégicos, de políticas públicas, alimentação saudável nas escolas, biodiversidade, mercado orgânico na América do Sul, bioeconomia e cidades verdes.

Realizada na Marina da Glória, o Sistema OCB e o Sescoop/RJ participaram com um estande para as cooperativas Agropecuárias de Guaxupé (MG), de Carmo e de Macuco, Mistura Carioca, Sicoob Fluminense, Coopergia, Comunicoop, Chave Real, Coopfuturo e Unacoop apresentarem seus produtos e serviços.

A Cooperativa Agropecuária de Carmo recebeu elogios de visitantes da Alemanha e da Holanda. Ela apresentou o seu portfólio de produtos, como queijo minas frescal, parmesão, requeijão, doce de leite e manteiga.

A presidente Maria do Carmo Sertã acredita que a qualidade vem pela busca de produtos saudáveis. “Recebemos diariamente 5 mil litros de leite de 44 cooperados. Trabalhamos com a produção em baixa escala, mas podemos ir além. No Green Rio negociamos a apresentação de nosso portfólio à uma rede de supermercados”, falou.

Com telhas, vassouras e cordas feitas com materiais reaproveitáveis, a Coopfuturo também chamou a atenção. O holandês Ferrie Hattun, da Saxion University, programou uma visita à sede da cooperativa, localizada na Central de Triagem de Irajá.

“Foi importante conhecer o trabalho de reaproveitamento de itens que iriam para o lixo. Chamou a minha atenção e quero conhecer como é a cadeia produtiva da Coopfuturo”, afirmou Ferrie.

Segundo o presidente do Sistema OCB/Sescoop-RJ, Marcos Diaz, as pessoas ficaram interessadas nos serviços e produtos expostos: “O estande ficou cheio durante todo o evento. Isso foi recompensador, pois é resultado de um trabalho de desenvolvimento do cooperativismo.”

O coordenador do Centro de Agronegócio da FGV (GV Agro) e embaixador especial da FAO para as cooperativas, Roberto Rodrigues, falou sobre a capacidade do segmento como organizador da sociedade. “As cidades que possuem cooperativas têm o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) melhor que municípios sem instituições cooperativistas. O que vimos no evento foram exemplos positivos do que o cooperativismo brasileiro promove”, disse.

%d blogueiros gostam disto: