Largo do Machado recebe o Dia de Cooperar 2017

Se o Dia de Cooperar de 2016, realizado na Praça Afonso Pena, na Tijuca, já foi um sucesso, a edição 2017 foi ainda melhor. Arte, cultura, cidadania, solidariedade, voluntariado e, claro, a cooperação, marcaram a Celebração do Dia C, que neste ano aconteceu no Largo do Machado, Zona Sul do Rio de Janeiro, em comemoração ao Dia Internacional do Cooperativismo. Ao longo de todo o dia 1º de julho, milhares de pessoas visitaram os estandes e conheceram alguns dos serviços que as cooperativas fluminenses realizam.

Yoga, Jazz, coral de crianças, show de MPB, Maracatu foram algumas das atrações do evento, que atraiu o público durante as mais de sete horas de evento. Vinte e uma cooperativas de diversos segmentos ofereceram e 10 instituições parceiras – como a Subprefeitura da Zona Sul, a Guarda Municipal, Detran/RJ, Comitê de Gênero Dona Terezita, o Centro de Referência de Assistência Social Padre Veloso, Sociedade Zoófila Educativa (Sozed), Instituto Embelleze, entre outros – ofereceram serviços ao público, como: emissão de segunda via de documentos, orientações jurídica e financeira, atividades musicais, serviços de saúde, corte de cabelo, oficinas de artesanato e reciclagem e doação de animais.  As crianças também tiveram o seu espaço e se divertiram com jogos, criação de origamis e contação de histórias.

Satisfeito com o sucesso de mais uma edição do Dia de Cooperar, o presidente do Sistema OCB/Sescoop-RJ, Marcos Diaz, disse que o cooperativismo e a sociedade são os mais beneficiados com o evento.

“As cooperativas e instituições parceiras estiveram – e estão, visto que o Dia C é contínuo – engajadas na transformação social das comunidades em aspectos de saúde, lazer, educação e cuidado ao meio ambiente. O Dia de Cooperar é, com certeza, uma ferramenta para disseminar os diferenciais do cooperativismo e torná-lo conhecido e admirado por todos”, afirmou.

Estímulo à ética

A Cooperativa de Serviços em Energia (Coopergia), levou ao Dia C 2017 uma proposta diferente dos anos anteriores: a exposição de doces sem valor de venda. Os interessados puderam comprar, mas pagando apenas o valor que consideram justo para o produto. A ação foi em parceria com a ONG Hope, que desenvolve um projeto de reforço escolar na baixada fluminense e já alfabetizou mais de mil crianças na região.

“São atitudes pequenas e simples que vemos onde está a nossa ética. Essa iniciativa me fez refletir muito. Será que valorizamos demais atitudes ou ações e deixamos de lado outras?”, comentou Paulo Almeida, após passar pelo espaço.

Vamos Economizar?

Em tempos tão difíceis no país, as cooperativas mostraram a importância de poupar. O Sicoob Cecremef levou pelo terceiro ano consecutivo uma maquete que simula o consumo dos eletrodomésticos, estimulando ações de combate ao desperdício. Diretora do Sicoob Cecremef, Mina Ficzman, afirmou que é sempre um prazer estar em eventos como o Dia C. “Está no DNA da cooperativa esse lado social. Achamos importante levar ao público a conscientização do uso da energia elétrica. O resultado sempre é de pais, mães e filhos interessados em saber quais são os gastos de eletrodomésticos dentro de um domicílio”, falou.

Quem precisou reorganizar suas finanças pessoais também pôde receber orientação financeira. Foi o caso de Lourdes Bezerra. Ela estava passando pelo Largo do Machado e ficou interessada nos serviços da Unicred Central RJ/MT. “Meu pensamento agora é outro. É impressionante como saio dessa conversa com outras atitudes”, afirmou.

Ajuda à quem precisa

A guarda municipal Rute Freitas deixou o cabelo crescer e doou 20 centímetros de seus cachos ao projeto social Laços de amor, que participou do Dia C, no Rio de Janeiro, em parceria com o Sicoob Cremendes. O projeto já tinha feito sucesso na celebração do Dia de Cooperar em Barra do Piraí, realizado no dia 24 de junho.

“Cabelo cacheado é raro nas perucas e as mulheres que perdem seus cachos com a quimioterapia, querem uma peruca cacheada”, explicou Alessandra Moraes, fundadora da ONG que fabrica perucas para doação a mulheres com câncer.

De acordo com Rute, o desapego aos cachos foi por uma boa causa. “Fico muito honrada em saber que essa atitude vai melhorar a vida de muitas mulheres. Incentivo outras a também participarem e ajudarem”, falou.

Literatura

A difusão de conhecimento também teve espaço no Dia C. Pelo terceiro ano consecutivo, pais e crianças puderam desfrutar do “pé de livro”, onde puderam, sentar, ler e viajar pelas histórias dos mais diversos autores. Além desse espaço, também houve espaço para doação de livros, feita pelo professor de literatura e contador de histórias, Evanildo Fernando. Ele doou mais 350 publicações. Para ele, a iniciativa serve para difundir o conhecimento e as novas culturas.

“É uma atitude simples, mas que traz inúmeros benefícios’, afirmou. A dona de casa Ângela Santos passava pelo local e levou dois livros. “Em um primeiro momento fiquei receosa, pois não se vê atitudes assim. Depois, vi que era uma ação verdadeira, de coração. Estou levando dois livros para casa e com certeza farei o bom uso deles”, contou.

Dia C no Estado

Além da celebração no Largo do Machado, o Dia C também esteve em Nova Friburgo e Bom Jardim, com ações promovidas, respectivamente pelas Cooperativas Educacionais Escola Fribourg e Espaço Integrado de Educação e Cultura (Eiduc), com participação de outras do Estado.

Fonte: Sistema OCB/RJ

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


%d blogueiros gostam disto: