Curso de Direito Cooperativo inicia no Rio

Bases_450 x 450 px_ClaudioPor Cláudio Montenegro. Jornalista, editor chefe da Rio Cooperativo, diretor geral da Montenegro Grupo de Comunicaçãomontenegrocc@montenegrocc.com.br

 

 

Dirigentes, lideranças cooperativistas e advogados especializados em cooperativismo participaram nessa terça, 18 de agosto, na sede da OAB/RJ, da abertura do curso Cooperativismo e Direito Cooperativo. A formação, que vai até novembro, é realizada pelo Instituto Brasileiro de Estudos em Cooperativismo (Ibecoop), Escola Superior da OAB/RJ e Comissão Especial de Direito Cooperativo (CEDC), com o apoio do Sistema OCB/Sescoop-RJ, que representa as cooperativas do Estado do Rio de Janeiro.
A aula magna O Direito Cooperativo em perspectiva internacional e comparada foi ministrada pelo jurista argentino Dante Cracogna, um dos mais renomados estudiosos do segmento. Ele abordou o direito comparado, os modelos de legislação cooperativa, o direito cooperativo na América Latina e nos demais continentes.
Para o presidente do Ibecoop, advogado Ronaldo Gaudio, a formação contribui para a discussão do cooperativismo dentro da OAB/RJ. De acordo com o presidente do Sistema OCB/Sescoop-RJ, Marcos Diaz, as necessidades que o segmento cooperativista precisa são conhecidas e esse espaço dá o respaldo que contribuirá no aperfeiçoamento técnico do segmento.

Marketing cooperativista e estratégico
O marketing identifica as necessidades, conveniências, desejos e expectativas dos mercados considerados alvos, no intuito de satisfazê-los de tal forma peculiar, criativa e superior à concorrência, desencadeando em um sentimento que torne os clientes leais.
Atrair, conquistar e obter clientes de maneira mais rápida que a concorrência é o que se pode definir como marketing essencial. O conceito transmitido pelo instrutor Waldeck Pereira fez parte da capacitação Marketing no Atendimento ao Cliente, realizado pelo setor de Formação Profissional do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado do Rio de Janeiro (Sescoop/RJ) essa semana, na sede da Escola Fribourg, em Nova Friburgo. O curso fez parte do Plano de Melhorias do Programa de Desenvolvimento da Gestão Cooperativista (PDGC) na região.

Enquanto isso, em Brasília…
O Plenário do Senado Federal poderá apreciar o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 57/2015, que revê a política de desoneração da folha de pagamentos e aumenta as alíquotas incidentes sobre a receita bruta das empresas de 56 setores. A Organização das Cooperativas Brasileiras trabalha em parceria com a Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop) pela manutenção do artigo 8ºA no texto, que conserva a alíquota de 1% para o setor agrícola, principalmente os produtores de carnes de peixes, aves e suínos.

Princípios cooperativistas
Os sete princípios do cooperativismo são as linhas orientadoras por meio das quais as cooperativas levam os seus valores à prática. Foram aprovados e utilizados na época em que foi fundada a primeira cooperativa do mundo, na Inglaterra, em 1844. Nesta edição apresentamos o sexto princípio.

6- Intercooperação: as cooperativas servem de forma mais eficaz aos seus membros e dão mais – força ao movimento cooperativo, trabalhando em conjunto, através das estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais.

%d blogueiros gostam disto: