Cooperativas de Crédito se unem para fortalecer o setor no Pará

A capital paraense entrou para a história do cooperativismo de crédito. No último dia 1º, as cooperativas Sicoob Federal, Cooperdados, Cooper-Ação, Crededuc, Coopermater, Coecelpa e Coocprm foram incorporadas pela Sicoob Eletrocred, originando aSicoob Unidas. Juntas, são mais de 4 mil associados e um capital social de R$ 20 milhões e, a partir de então, de livre admissão.

A incorporação ocorreu durante a Assembleia Geral Extraordinária, no Hotel Sagres, com a presença de mais de 300 associados. É a primeira vez que uma união desse porte acontece no Brasil. O Pará é considerado uma área de grande oportunidade de expansão pelas características econômicas e sociais.

“O Estado do Pará possui um potencial singular. Por isso estamos dando todo suporte para que as cooperativas expandam. A nossa meta é triplicar o número de associados”, afirmou o presidente da Sicoob Central Unicoob, Marino Delgado.

Hoje, pouco mais de 24 mil pessoas estão no sistema Sicoob no Estado. No Brasil, o cenário é bem diferente. Dos 7,5 milhões de pessoas cooperadas ao ramo crédito, cerca de 3 milhões está no Sicoob. “Com a Unidas será possível chegarmos a todos os municípios paraenses e mostrar os benefícios do cooperativismo em prol nosso Pará”, ressaltou a presidente recém-criada Sicoob Unidas, Karlene Vasconcelos.

Foi um momento de muita emoção. “É um sonho realizado. A união das nossas cooperativas irá fortalecer e expandir o nosso ramo. Agora as pessoas vão poder conhecer o porquê da minha imensa paixão pelo cooperativismo”, disse Marlise de Lima, professora e cooperada da Crededuc.

Antes, o modelo de admissão nas 8 cooperativas era fechado em empresas públicas e/ou privados, a exemplo da Eletrocred, que era dos funcionários da Eletronorte, com um universo de 527 cooperados e ativos de R$ 7 milhões. Isso dificultava a expansão das cooperativas. Com a livre admissão, qualquer pessoa – sendo funcionária pública ou não, poderá associar-se.

“É uma grande vitória para todos os paraenses ter uma cooperativa desse porte capaz de prover todos os serviços bancários e devolver para nossa sociedade os benefícios do cooperativismo. A riqueza é gerada aqui e nós todos vamos usufruir em cadeia”, arrematou Ernandes Raiol, presidente do Sistema OCB/PA.

(Fonte: Portal do Cooperativismo Financeiro)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


%d blogueiros gostam disto: