Custo médico sem controle assombra Sistema Unimed, diz estudo

1415298880_UnimedRioPesquisa feita Xartis, com o apoio da Fundação Unimed apontou questões que, no futuro, podem prejudicar o Sistema Unimed. Margens reduzidas, custos assistenciais subindo sem parar e dificuldade de convencer o médico cooperado a assumir seu papel de acionista foram alguns dos pontos citados por dirigentes ouvidos – de forma inédita – sobre os desafios do setor de saúde suplementar.
Realizada no Rio de Janeiro, durante a 44a. Convenção Nacional Unimed, a pesquisa ouviu 170 diretores e executivos de singulares e federações do Sistema. Os seus resultados apontam não apenas os principais motivos de preocupação, como também mostram sobre quais bases de dados os dirigentes definem suas estratégias de gestão.

 

A pesquisa, segundo o diretor técnico da Xartis, Carlos Pellon, revelou que a sobrevivência do setor está diretamente ligada à capacidade de controle de custos assistenciais e ao gerenciamento das relações com os cooperados, que em muitas singulares age como gerador de custo, e não como sócio e dono do empreendimento”.

 

Também docente do IBMEC-Rio e Mestre em Administração de Marketing, Pellon avalia que embora os desafios para o setor suplementar sejam muito grandes, parte relevante deles pode ser diminuída com o uso inteligente de informações. “Um dos dados que mais chamam a atenção é que, apesar da compreensão de que o sistema suplementar e o próprio Sistema Unimed estão diante de seríssimos dilemas, ainda é pouco relevante o uso de dados de pesquisa para tomada de decisão, o que indica que a maior parte das estratégias é definida a partir de dados passados e conhecidos, e não de uma análise preditiva para impedir que os problemas aumentem”, sustenta Pellon.

 

Para o pesquisador, esse é um ponto que deve perder relevância, especialmente porque o processo de acreditação de operadoras parece estar definitivamente instalado.
“A acreditação é o próximo passo, e quem olhar para ela com objetividade e visando melhorar a governança de maneira geral, atingindo patamares mais elevados de excelência, terá muito maior possibilidade de se manter em pé”.

 

Para o presidente da Fundação Unimed, João Batista Caetano, a pesquisa traz uma contribuição importante para as cooperativas médicas, num momento em que há um claro agravamento na capacidade de manter o equilíbrio operacional e financeiro. “O papel da Fundação é subsidiar as singulares e federações, e esta pesquisa que a Xartis realiza, como nossa principal consultoria de pesquisa e inteligência de mercado, traz uma série de dados muito relevantes para nossa sustentabilidade enquanto sistema de saúde”.

 

A íntegra da pesquisa pode ser solicitada gratuitamente pelo email inteligencia@xartis.com.br.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


%d blogueiros gostam disto: