Eduardo Paes: melhorias com o impulso das olimpíadas

2 - pref2Eduardo da Costa Paes formou-se em Direito pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ), mas a entrada desde cedo na política não lhe permitiu exercer a advocacia de forma efetiva. Como prefeito do Rio, estabeleceu uma gestão focada em metas e planejamento. Em seu primeiro ano, a cidade do Rio conquistou a sede das Olimpíadas de 2016, superando candidatos fortes, como Chicago, Tóquio e Madri. Em 2012, ele foi reeleito no primeiro turno, com 64% dos votos.

As Olimpíadas serviram como forte impulsionador de empreendimentos voltados para a mobilidade urbana no Rio de Janeiro – como as vias expressas Transolímpica, Transoeste e Transcarioca, integrando as zonas norte, oeste, centro e o aeroporto internacional. Inclui-se, também, a revitalização da área do porto, criando o Porto Maravilha.

Apesar dos transtornos que as obras causam à população, as mudanças têm mostrado resultados. Durante a Copa das Confederações, em 2013, o ordenamento do trânsito e dos transportes do Rio foi considerado pelo Comitê Organizador Local da FIFA o mais eficiente entre todas as cidades envolvidas na competição.

Em julho deste ano foi inaugurado o Arco Rodoviário Metropolitano, ligando o Porto de Itaguaí a Itaboraí. A meta é diminuir a circulação de veículos pesados na cidade. “Trata-se de um projeto importantíssimo para a região metropolitana e que terá um impacto positivo. A redução do tráfego de veículos de carga pela Avenida Brasil representa uma medida importante para desafogar o trânsito na principal via da cidade. Quando a Transbrasil estiver em operação, o BRT passará a ser uma ótima alternativa e muitos ônibus deixarão de circular pela região, o que diminuirá os engarrafamentos”, diz Paes.

Renovação da frota de táxis

Essa forma de gerir o transporte no Rio de Janeiro também envolve os táxis, que exercem um papel importante na construção de um novo modelo de mobilidade urbana no município. Um reflexo foi o aumento da fiscalização contra táxis piratas, iniciado em 2013. “A Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) imprimiu uma nova linha de ação para ordenar e fiscalizar o sistema de táxis. Intensificou as operações nas principais áreas da cidade, em especial nos locais de chegada e saída de turistas, em megaeventos como a Jornada Mundial da Juventude e o Rock in Rio. Ao mesmo tempo, combateu as irregularidades em diversos pontos do município com operações diárias, protegendo os usuários das investidas dos táxis piratas”, destaca Paes.

Além de uma opção a mais para os deslocamentos, a frota de táxi do Rio também costuma ser a primeira opção de transporte para os turistas que chegam à Cidade Maravilhosa. Ciente desta atuação dos taxistas, a Prefeitura tem dedicado atenção especial à qualidade do serviço. “Os taxistas são verdadeiros embaixadores da cidade. Esses profissionais muitas vezes têm o primeiro contato com os turistas e são portadores de informações básicas para que o visitante programe sua passagem pelo Rio. Até em função da importância do papel do taxista para a imagem da cidade, a Prefeitura, por meio da SMTR, tem aperfeiçoado o controle da frota e avaliado o desempenho dos profissionais”, ressalta o prefeito.

Outra iniciativa para qualificar o serviço de táxi foi a criação de incentivos fiscais para a compra de novos veículos, impulsionando a renovação da frota. “A Prefeitura fornece uma carta contendo histórico e tempo de serviço do permissionário para que ele obtenha isenção dos tributos IPI (federal) e ICMS (estadual). Essa isenção tributária ajuda o taxista a adquirir um veículo novo e ameniza os custos na transação comercial”, finaliza.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


%d blogueiros gostam disto: