Ano de mudanças e conquistas

Bases_450 x 450 px_Claudio

Por Cláudio Montenegro, editor-executivo da Rio Cooperativo*

“O futuro pertence àqueles que acreditam na beleza de seus sonhos.”
(Elleanor Roosevelt)

Esta edição de Rio Cooperativo é bastante emblemática para o cooperativismo do ramo Trabalho, que foi contemplado há pouco mais de um ano com os benefícios originados pela Lei no 12.690/2012. Por ocasião de um seminário promovido pela OAB/RJ, em parceria com o Sistema OCB/Sescoop-RJ, por iniciativa da Comissão Especial de Direito Cooperativo, especialistas avaliaram os efeitos da Lei nas cooperativas após um ano de sua entrada em vigor.


Ouvimos alguns representantes de cooperativas que contaram um pouco desta nova realidade e dos desafios diários frente ao mercado de trabalho e Ministério Público, que, por vezes, tem sido o grande algoz dessas instituições.

A discussão é antiga, as preocupações idem. Sempre se falou nos deveres das cooperativas de trabalho, mas pouco destaque foi dado aos direitos e, por consequência, aos resultados socioeconômicos positivos que este segmento tem proporcionado aos que atuam diretamente no ramo. São cooperados que dedicam, abnegadamente, momentos preciosos de sua rotina diária para produzir em prol do grupo a que estão ligados, traduzindo esses resultados em benefícios para sua coletividade, seus familiares e para si mesmos, de forma equânime. Isso é o fundamento do verdadeiro cooperativismo.

Neste número, apresentamos, também, os resultados da primeira edição da Expotáxi RJ – Feira de Fornecedores de Produtos e Serviços para o Ramo Táxi, Frotistas e Similares, que recebeu mais de 5.000 visitantes em julho deste ano no Centro de Convenções Sul América, sucesso este que garantiu a realização da próxima feira em 2014, já em nova casa, o Riocentro – o maior centro de convenções da América Latina -, que deverá abrigar um número ainda maior de expositores
e visitantes.

Em outubro, a presidente Dilma Rousseff sancionou uma Medida Provisória que beneficiará o segmento taxista, assegurando a transmissão hereditária das licenças para explorar o serviço de transporte individual de passageiros. Vitória de toda uma categoria.

O entrevistado desta edição é o superintendente do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento no Estado do Rio de Janeiro (Mapa/RJ), Bernardo Ariston, que, em sua administração, está mudando conceitos e unindo o cooperativismo e beneficiando os pequenos e médios produtores, que outrora estavam distantes das ações daquela casa.

Abordamos, ainda, a preocupação socioambiental do  Condomínio do Edifício do BNDES, que promove a coleta seletiva de seus resíduos sólidos através de cooperativas de reciclagem.

Brindamos o leitor com uma leitura mais suave no conhecimento do trabalho da única cooperativa de baristas do Brasil, em atividade no Rio de Janeiro.

Muito temos a aprender, mas o resultado de uma agenda proativa está mudando a forma como as cooperativas atuam. E quem ganha é a sociedade, que passa a encontrar produtos e serviços de qualidade assegurada.

Boa leitura e saudações cooperativistas!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


%d blogueiros gostam disto: