A atuação das cooperativas no novo cenário do Rio de Janeiro

Bases_450 x 450 px_ClaudioPor Cláudio Montenegro, editor-executivo da Rio Cooperativo*

“A tarefa não é tanto ver aquilo que ninguém viu, mas pensar
o que ninguém ainda pensou sobre aquilo que todo mundo vê.”

(Arthur Schopenhauer)

A contagem regressiva para os eventos que acontecerão no Brasil e no Rio de Janeiro já começou. 2013 é um ano de preparação da cidade. Não só as instituições públicas, mas também as cooperativas estão se atualizando e profissionalizando para receber, nos próximos meses e anos, eventos como a Jornada Mundial da Juventude, Copa das Confederações, Copa do Mundo e Olimpíadas.

No campo ou na cidade, a força cooperativista que movimenta o setor é retratada nos resultados constantes de crescimento em todos os ramos. Nas próximas páginas, apresentamos um balanço destas novidades.

A capa desta edição traz uma radiografia das cooperativas de eletrificação rural do Estado do Rio de Janeiro. Um panorama do setor, com suas carências, situação, investimentos e propostas do Governo Federal para melhoria deste segmento cooperativista.

Ouvimos representantes da Organização das Cooperativas Brasileira (OCB) de Brasília e do Rio de Janeiro. Uma reportagem especial sobre as ações e um balanço da OCB no Ano Internacional das Cooperativas, e os dois anos da atual gestão da OCB/RJ com os desafios e oportunidades que virão pela frente.

Em outra reportagem mostramos a tendência mundial na adoção de veículos ecologicamente corretos. No Rio de Janeiro, a Cooperativa de Táxis do Aeroporto Santos Dumont foi a primeira a iniciar operações com dois carros elétricos, uma alternativa silenciosa com emissão zero de poluentes.

Sobre a Expotáxi RJ – Feira de Fornecedores de Produtos e Serviços para o Setor Táxi, Frotistas e Similares, que será realizada em julho de 2013, apresentamos as primeiras definições de expositores. Vale a pena conferir, também, como estão os desdobramentos do Conselho Regional de Taxistas do Rio de Janeiro, uma conquista da OCB/RJ em parceria com as cooperativas de táxis da cidade.

Na tendência da reciclagem ambiental e social, conversamos com a cooperativa Eu Quero Liberdade (CooperLiberdade), que faz a ressocialização e promove a entrada no mercado de trabalho de egressos do sistema penitenciário. São mais de 30 cooperados que transformam o óleo de cozinha usado em detergente.

O deputado federal Edson Santos é o colunista convidado e fala sobre as etapas da Frencoop Fluminense e as conquistas políticas.

A equipe de Rio Cooperativo conversou com diversos dirigentes, entendeu as necessidades de mudanças, preparou um diagnóstico com vertentes específicas das cooperativas e contextualizou tudo nesta 16ª edição que chega às suas mãos.

A cada edição inovamos. As páginas de Rio Cooperativo possuem, a partir de agora, o selo da Forest Stewardship Council (FSC), entidade internacional que promove o manejo responsável das florestas do mundo. Isto significa que estas páginas foram impressas em papéis provenientes de árvores reflorestadas, respeitando o conceito de sustentabilidade em cadeia.

Boa leitura e saudações cooperativistas!

%d blogueiros gostam disto: